Lorenzo Baldassarri “Queria desistir, agora estou no Mundial de Superbike”

0
55
Lorenzo Baldassarri, Supersport

Lorenzo Baldassarri é a imagem da felicidade. Ele acabou de voltar da Austrália, fala sobre a temporada que acabou e acende. No paddock do Campeonato do Mundo de Superbike, o piloto das Marcas reencontrou as suas vitórias mas sobretudo o seu sorriso, entusiasmo e alegria, como conta a Corsedimoto.

Este ano, em sua primeira temporada no WSSP, Lorenzo Baldassarri terminou como vice-campeão mundial com 16 pódios, incluindo quatro vitórias. Ele foi assim promovido no Campeonato Mundial de Superbike de 2023 com GMT94 Yamaha.

Lorenzo Baldassarri, qual foi o melhor momento?

“Definitivamente a primeira vitória, Aragão na corrida1. Cheguei e ganhei logo depois com a defesa na última volta foi muito bonito. Na corrida-2, Dominique me enganou na última volta, mas ainda estava um pouco preso devido ao que havia acontecido comigo no dia anterior. Também foi muito emocionante correr em Misano, minha primeira corrida em casa com o Supersport, embora tenha perdido a vitória em ambas as corridas”.

Pior momento?

“Eu diria corrida 2 em Magny Cours porque depois da dupla vitória em Most eu tinha reaberto o campeonato e se tivesse conseguido mais uma dupla vitória poderia ter dado um sinal forte. Infelizmente escorreguei, foi um dia danado que marcou negativamente a temporada. Não tenho boas lembranças nem da Argentina quando terminei em nono e terceiro devido a problemas na caixa de câmbio”.

Como você avalia sua temporada?

“Um bom nove. Sempre exijo o melhor de mim e em outras situações nunca daria um sete e meio mas considerando que vinha de um ano desastroso e minha situação psicológica até 2021 no nove, está tudo bem. Estava no meu primeiro ano no Supersport, a estrear-me com a equipa, com a moto: era tudo novo para mim e lutei pelo título”.

O que você achou do WSSP?

Alguns pensam que o Supersport é fácil, mas o nível é muito alto com Dominique, que é um piloto muito forte e foi muito difícil vencê-lo e competir com ele. A WSSP é uma grande liga e merece o maior respeito

Você renasceu no Supersport?

Esta temporada me deu energia, confiança e aquele amor pelo automobilismo que estava diminuindo um pouco. Eu renasci e não apenas como motorista. Voltei a acreditar em mim mesmo fora das pistas. Em 2022 voltei a estudar, fiz o exame final e concluí o Liceo Scientifico e é uma coisa importante para mim a nível pessoal e como homem”.

Você pensou em desistir de tudo há um ano?

“Sim, no final de 2021 pensei em desistir e não vou negar. Queria questionar tudo um pouco, depois fui para a EvanBros e fiquei imediatamente muito feliz, eles confiaram em mim de cara, assim como a Yamaha. Comecei esta jornada com a Yamaha e agora vamos em frente: eles acreditam em mim e querem levar-me para a frente e estou muito satisfeito”.

Ainda pensas no MotoGP?

O Mundial de Superbike está crescendo muito, é espetacular e estou bem com isso. Não é um campeonato para aposentados da MotoGP, mas também há pilotos jovens e fortes que podem se sair bem no futuro. Mesmo que tivesse de ficar na Superbike toda a minha vida, não me importaria nada e vou tentar obter os melhores resultados. E se um dia me ligarem do MotoGP, tudo bem porque sempre foi o meu sonho, mas não penso nisso”.

Como era o ambiente da Superbike, o paddock?

“Gosto muito, há mais humanidade entre os pilotos. É um campeonato extremamente profissional, estão todos concentrados e não é como se estivessem brincando, mas os pilotos são mais humildes, são todos mais pé no chão, até os grandes nomes. É melhor em termos de relacionamentos pessoais. Até os mais recentes podem parar e conversar com os grandes nomes do Superbike. Do ponto de vista psicológico, humano, é muito bonito e estou muito feliz”.

Como você vai passar o inverno?

“Mal posso esperar para começar a testar. Não vou fazer nada em particular, vou ficar em casa, com a minha família e depois ver se consigo ir para algum lado mas nada de viagens exóticas Este ano não sinto necessidade de fugir mas mais de estar com as pessoas mais perto de mim”